• Dione Oliveira

A Importância Da Gestão Fiscal Para Empreendedores

Hoje é dia do agente fiscal da receita federal! Mas afinal o que esse profissional faz e qual a importância da contabilidade fiscal para uma empresa?


Quando se empreende é necessário estar à par de muitos assuntos, investimentos, fluxo de caixa, contratações e principalmente da parte fiscal da sua empresa. Por tanto hoje eu trouxe 3 poderosas dicas para você empreendedor.



1. Você pode se isentar do IRPF sobre os lucros da empresa.


Minha primeira dica vai em cima da relação entre Pró-Labore e a Distribuição de Lucros


O pró-labore é como se fosse o salário que o empresário recebe de sua empresa, por lei ele é obrigatório e o mínimo permitido pela Receita Federal é um salário mínimo.


Quando o pró-labore é retirado, é necessário a contribuição de 11% para o INSS (aposentadoria) e pode estar sujeito ao IRPF de acordo com a tabela progressiva da Receita Federal.


Vamos supor que você decidiu retirar como pró-labore o valor de R$1.200. Este valor está dentro da faixa de isenção de IRPF e você pagará apenas o INSS que, neste exemplo, seria de R$132,00.


Retirar pró-labore também possibilita fazer a chamada Distribuição de Lucros que é o que sobra para o empresário depois de apuradas todas as receitas, despesas e custos incluindo pagamento de impostos e do próprio pró-labore.


E aqui vai a minha dica: a distribuição de lucros é isenta de IRPF, ou seja, se você retira pró-labore, todo o lucro que a sua empresa tiver pode ser distribuído ao(s) sócio(s) sem incidência de imposto de renda pessoa física – e esta distribuição pode ser feita anualmente, a cada trimestre ou mensalmente.


Não se esqueça! Para fazer a distribuição de lucros é preciso comprovar toda movimentação financeira contabilizada (Lei 9.249/95 – Art.10).



2. Não pague impostos duas vezes!


Esta dica contábil é para você que presta serviços para outras cidades. Normalmente, você já paga o ISS no seu município mas, quando emite uma nota fiscal referente a um serviço prestado em outra cidade, precisa pagar o ISS para esta outra cidade também. Pois é, uma bitributação. Mas tem saída e ela chama-se CEPOM -Cadastro de Prestadores de Outros Municípios


Fazendo este cadastro, a sua empresa fica livre da bitributação ao prestar serviços para outros municípios. Consulte a prefeitura da cidade para qual você prestará o serviço e verifique como fazer o cadastro.


Com este cadastro você evita perder, de bobeira, 5% da sua nota!



3. Empresas do Simples Nacional tem isenção da retenção de impostos na fonte pagadora


Como assim? calma que eu te explico, quando você vende um serviço ou produto para outra empresa ela deve reter na fonte – ou seja, descontar do seu pagamento – os valores referentes aos tributos federais como IRPJ, CSLL, PIS e COFINS. Mas, se a sua empresa for do Simples Nacional você já paga esses tributos na sua DAS e de acordo com a lei está isento desta retenção na fonte pagadora.


Mas, para isso acontecer, sempre que você vender um produto ou serviço para outra empresa informe que você é enquadrado no Simples Nacional e está dispensado da retenção.




2 visualizações0 comentário
DIONE DE OLIVEIRA
whatsapp-line-logo-branco.png
Fale Comigo
  • Facebook - White Circle
  • Dione de Oliveira Instagram
  • LinkedIn - White Circle