• Dione Oliveira

Queime seus navios



Você já ouviu uma dessas expressões?


“Queime as naus”

“Queime seus navios”

“Queime a ponte"


Elas tem um significado especial, que vou compartilhar hoje contigo.


A história se passa em um ambiente em guerra. 


O general Agátocles, de Siracusa, tinha uma missão praticamente impossível: invadir Cartago. 


Cartago, como você pode ver na imagem, era uma fortaleza marítima, que tinha apenas um acesso. Ou seja, para invadi-la precisaria muito mais do que bons soldados - precisaria de estratégia.


Muitos generais tentaram transpor as barreiras de Cartago, e falharam. A reputação da cidade como impossível de ser conquistada só crescia, enquanto o medo dos inimigos crescia também. 


O general de Siracusa sabia que, para conseguir vencer uma batalha “impossível”, ele precisaria fazer algo diferente do que os demais tentaram.


Ele sabia que o pior inimigo não eram os arqueiros, nem os guerreiros armados até os dentes. Tinha outra coisa que tomava conta de quem tentava invadir Cartago: a dúvida.


Foi então que teve a ideia que mudou o rumo a história.


Ao desembarcar com todos seus soldados na Baía da Cartago, reuniu seus imediatos e capitães e ordenou:


"- Queimem os navios!” - e assim foi feito, queimando as suas embarcações, e não as do inimigo.


Um a um, os navios de Siracusa foram sendo envolvidos pelas chamas e se destruindo. Ao mesmo tempo, a esperança de retorno para casa dos soldados também.


Nesse momento o exército de Siracusa entendeu: Só existia um caminho - o da vitória. Ou eles venciam a batalha contra Cartago, ou seriam derrotados na Baía, sem ter um meio de fuga.


Os soldados marcharam, lutaram e, pela primeira vez na História, um exército tomou Cartago. 



Entendo que na nossa vida profissional temos que agir assim. Jamais deixar a dúvida nos fazer ficar em cima do muro.


Quando temos uma situação difícil para decidir, paramos para refletir, e ponderar os prós e os contras. Depois disso, tomamos uma decisão. Nessa hora, temos que "queimar os navios”, e jamais voltar atrás. Se a dúvida tomar conta, podemos ser pressionados contra o mar, tentando entrar em nossos navios e fugir. 


Outras vezes começamos um projeto, entramos numa nova empreitada, fazemos uma mudança forte em nossa vida pessoal e ficamos pensando no passado. Ficamos sempre com a dúvida se deveríamos ou não ter feito o que fizemos ou tomado a decisão que tomamos. Estamos sempre com um pé no cais e um pé no navio. Será que não vale a pena recuar? Não terá sido uma loucura esta decisão? 


Nessas horas, lembre de Agátocles e seus soldados de Siracusa. Caminhe, siga em frente, acredite, lute, vença.


Maravilhoso dia para você,


Dione de Oliveira

Ajudando empresários a terem duas vezes mais lucros em seus negócios.

Empresário e Mentor de negócios.

Sozinhos vamos mais rápido. Juntos vamos mais longe.

Telefone: (51) 99291-4957

http://www.dioneoliveira.com.br


Observação: muito cuidado para não interpretar "queimar os navio" de outra forma. Já ouvi de algumas pessoas que seria um sinônimo para "abandonar minha história", deixando o seu passado para trás, seus valores, suas referências e sentimentos. CUIDADO! Nunca sacrifique seus valores em nome da vitória. Sua família, suas origens, sua experiência, moldam quem você é. Um ato de coragem - "queimar os navios" - tem que ser feito de acordo com quem você realmente é.

1 visualização
DIONE DE OLIVEIRA
whatsapp-line-logo-branco.png
Fale Comigo
  • Facebook - White Circle
  • Dione de Oliveira Instagram
  • LinkedIn - White Circle